Visita Guiada ao Parque

Planear Visita

PARQUE

Visitas Guiadas

Desde 1996, o Parque Arqueológico do Vale do Côa disponibiliza visitas orientadas, em viaturas todo-o-terreno e abertas ao público em geral (ver Serviços Educativos para visitas escolares), a três dos principais sítios com arte rupestre paleolítica conhecidos na área do Vale do Côa: Canada do Inferno, Penascosa e Ribeira de Piscos.

Os guias que acompanham as visitas têm formação especializada em arte rupestre.

Os três sítios localizam-se em pleno vale do rio Côa, acessíveis por caminhos de terra batida.

  • Preço

    Preço único de 15€ por sítio e por pessoa

    Consulte aqui o nosso Preçário completo

  • As visitas partem de sítios diferentes

    – Museu do Côa para a Canada do Inferno;

    – Museu do Côa para a Ribeira de Piscos;

    – Centro de Recepção da aldeia de Castelo Melhor para a Penascosa.

  • Mais Informações

    Através do email visitas@arte-coa.pt

Visitas Guiadas ao Parque

Canada do Inferno

Penascosa

Ribeira de Piscos

Sítios Visitáveis de Arte Rupestre

O sistema de visitas às gravuras do Vale do Côa tem como preocupação a sua boa fruição por parte dos visitantes, em equilíbrio com a conservação da arte e da paisagem. Por razões logísticas e de conservação patrimonial, existe um limite de visitantes por dia/sítio, atendendo à especificidade de cada um. Todas as visitas são orientadas por um guia e realizadas em viaturas todo-o-terreno.

Ver Regras de Conduta para mais informações relativas ao desenrolar das visitas.

VISITA AO PARQUE

Canada do Inferno

Os horários das visitas são escolhidos em função da melhor luminosidade natural para a observação das gravuras, de forma a potenciar ao máximo a sua visualização. Os sítios da Canada do Inferno e da Ribeira de Piscos são visitados apenas durante a manhã, quando os painéis são iluminados pela luz solar mais ou menos rasante. Pelo contrário, os painéis da Penascosa, situados na margem direita do rio, encontram-se à sombra durante a manhã, pelo que este sítio é visitado apenas durante a tarde. A Visita Noturna é realizada apenas ao sítio da Penascosa.

Desta forma, e tendo também em conta a duração média de cada visita, num dia útil não é possível visitar mais que dois sítios com gravuras, um de manhã e outro à tarde.

VISITA AO PARQUE

Penascosa

Os graus de dificuldade dos três percursos variam ligeiramente. A Penascosa é a visita mais fácil, com grau de dificuldade baixo, com um acesso simples e um percurso pedestre curto. A Canada do Inferno é também uma visita fácil, mas com um grau de dificuldade superior, tendo um percurso pedestre mais longo e mais exigente, com alguns ligeiros desníveis. A Ribeira de Piscos é já uma visita de dificuldade média, com um longo e sinuoso percurso, não recomendável a pessoas de fraca disponibilidade física ou com dificuldades de locomoção.

VISITA AO PARQUE

Ribeira de Piscos

O Vale do Côa é uma região muito seca e onde se atingem temperaturas elevadas, particularmente no Verão. São frequentes as diferenças de temperaturas significativas entre a zona planáltica, onde se situam as povoações e o Museu do Côa, e o fundo do vale, onde são feitas as visitas, sendo escassas as zonas sombreadas. Recomenda-se o uso de roupa e calçado confortável, adequados à altura do ano e condições climatéricas. No Verão, recomenda-se fortemente que cada visitante leve chapéu, água e protector solar, porque é elevado o risco de insolação, desidratação ou queimadura solar. No Inverno ou com tempo chuvoso recomenda-se o uso de impermeável.

Outras Visitas

Visita de Caiaque

Visita Nocturna

Visita ao Museu

Visitas Educativas

Veja neste vídeo a experiência de visita à arte rupestre do Vale do Côa: