Visita ao Museu

Planear Visita

MUSEU

Visita Livre

O vasto conjunto ao ar livre do Vale do Côa, que põe de parte o velho mito da arte paleolítica encerrada em cavernas, pode ser apreciado na exposição do Museu, através de originais de arte móvel, réplicas de painéis de arte rupestre e informação interactiva que utiliza as modernas tecnologias digitais.

No Museu do Côa, a ausência de uma quantidade significativa de espólio corpóreo original passível de se expor dentro do edifício do museu – à excepção de algumas peças seleccionadas – evidencia os próprios sítios arqueológicos como verdadeiros objectos de referência material e remete para formatos e vocabulários expositivos contemporâneos.

O Museu do Vale do Côa não se enquadra numa museologia de colecções. A colecção está no exterior, nos sítios de arte rupestre do Vale do Côa.

A solução adoptada reflecte, assumidamente, a alteração de função e motivação do uso das imagens das gravuras e sítios no Vale do Côa num ambiente criado para novos suportes e leituras.

MUSEU

Visita Guiada

A área de exposição é dividida em várias Salas:

Destaca o Côa Património Mundial, oferecendo uma perspetiva de visão panorâmica do vale e sua arte rupestre.

Ilustra o longo processo geológico de formação de paisagem detalhando ainda o ancestral modo de vida no Vale do Côa, exibindo algumas dos utensílios recuperados na escavação de sítios de ocupação humana paleolítica na região.

Discute as teorias explicativas da arte rupestre à luz das características específicas da arte rupestre do Vale do Côa.

Oferece uma exploração interativa do santuário arcaico localizado no amplo anfiteatro natural composto pelos sítios da Penascosa e da Quinta da Barca.

Exibe uma réplica da rocha 1 do Fariseu (um dos painéis mais importantes do Côa com mais de 80 motivos gravados) e as placas de arte móvel também do Paleolítico Superior recuperadas durante a escavação deste sítio.

Analisa a história por trás da descoberta das gravuras abordando ainda a arte rupestre de períodos mais recentes, como a Idade do Ferro. Além a rocha 1 do Fariseu, há mais réplicas de painéis de arte rupestre, escolhidos por sua importância, mas também porque se encontram inacessíveis.

Alberto Carneiro apresenta Árvore-Mandala para os Gravadores do Côa, escultura que se desenvolve como uma Mandala sobre um castanheiro e cujos quadrantes correspondem a relações entre Arte-Vida/Natura-Cultura, palavras gravadas em quatro pedras de xisto.

As três salas de exposições temporárias têm vindo a apresentar diversas exposições contemporâneas de fotografia, pintura, escultura, gravura ou desenho que duma forma ou de outra pretendem homenagear ou evocar a arte dos gravadores pré-históricos.

O Museu do Côa disponibiliza ao público em geral vários tipos de visitas guiadas (ver Serviços Educativos para visitas escolares), nomeadamente:

Acompanhe as nossas redes sociais para ficar a par dos diversos eventos programados

Outras Visitas

Visita de Caiaque

Visita Nocturna

Visitas Educativas