GlossárioImprimir

Câmbrico (542-488 Ma)

período da Era Paleozóica, marcado pelo grande desenvolvimento das formas de vida, nos oceanos (em especial os invertebrados com conchas e carapaças). Neste período ocorreu a fragmentação de um antigo continente (Panócia), dando origem à Paleolaurência, à Sibéria e à Báltica, continentes entre os quais se expandia um novo oceano, o Japeto.

Cadeia operatória

Sequência organizada de processos técnicos de produção utilizado para reconstituir e hierarquizar a totalidade das acções antrópicas que afectaram um determinado volume de matéria-prima, desde o momento da sua selecção até ao abandono definitivo dos elementos dele provenientes.

Capacidade de alojamento

número máximo de indivíduos que os estabelecimentos hoteleiros podem alojar num determinado momento ou período, sendo este determinado através do número de camas existentes. A fórmula de cálculo é “capacidade de alojamento nos estabelecimentos hoteleiros / população residente *100” e a unidade de medida é a permilagem (‰).

Carbónico (359-299 Ma)

período da Era Paleozóica, marcado pelo aparecimento dos primeiros répteis e pelo desenvolvimento de grandes florestas.

Cefalópodes

animais invertebrados da classe dos Moluscos. Surgiram há cerca de 500 Ma, no Câmbrico superior. Vivem em habitat marinho, possuem cabeça com olhos e pé dividido em tentáculos e podem ou não possuir esqueleto (concha). São exemplo os polvos, as lulas e os chocos.

Cordilheira alpina

cadeia de montanhas que, na Europa, se começa a formar no final do Cretácico (65 Ma), como resultado da colisão entre a Europa (placa euro-asiática) e a África (placa africana). Desta cadeia faz parte a cordilheira dos Alpes.

Cordilheira hercínica

extensa cadeia de montanhas resultante da colisão de continentes que formaram o super-continente da Pangeia, no final do Paleozóico. Apesar de esta cordilheira ter sido arrasada por sucessivos episódios erosivos, os seus vestígios estendem-se ainda pela América do Norte e Europa. É também nesta altura que emergem e são afectados pela tectónica as rochas (xistos, grauvaques e quartzitos) da região de Foz Côa.

CORINE

o programa europeu CORINE (Coordination of Information on the Enviroment), entre outros objectivos, foi criado, em 1985, para reunir informação sobre o ambiente e os recursos naturais na Europa, e incentivar as várias políticas (económicas, agrícolas, de transportes, de energia, sociais...) a terem em consideração a defesa daqueles valores. Entre as várias componentes do ambiente que ele estuda contam-se os biótopos. Por isso, o Projecto Biótopos (que pertence ao Programa CORINE) identifica e caracteriza os biótopos mais importantes ou sítios de especial interesse para a conservação da Natureza e dos recursos naturais na União Europeia.

Cretácico (145-65 Ma)

último período da Era Mesozóica, marcado pelo aparecimento de novas espécies, uma grande diversificação dos mamíferos e, no final, pela extinção em massa de formas de vida. Começaram a prefigurar-se os continentes actuais. No início forma-se o oceano Índico devido ao afastamento da Índia e Madagáscar da Antárctica e da parte ocidental da Austrália. No final do Cretácico, a Europa aproxima-se da África e dá-se o início de um longo ciclo de formação de cadeias montanhosas (orogenia Alpina). No centro de Portugal, em algumas das camadas calcárias desta Era, encontram-se nódulos de sílex de excelente qualidade que foi utilizado para fabricar os utensílios durante toda a Pré-história. 

Crusta

corresponde à zona mais externa da litosfera e cuja espessura varia entre cerca de 5 km e 80 km. Pode ser continental ou oceânica.

Culturas Permanentes

culturas que ocupam a terra durante um longo período e fornecem repetidas colheitas, não entrando em rotações culturais. Não se incluem os prados e as pastagens permanentes.

Culturas Temporárias

culturas cujo ciclo vegetativo não exceda um ano e também as que são ressemeadas com intervalos que não excedam 5 anos.

© CÔA Todos os direitos reservados© All rights reserved